Uma triste realidade: A falta de profissionalismo no mercado de trabalho - CRM7 - Zoho Partner Brasil

Uma triste realidade: A falta de profissionalismo no mercado de trabalho

By 16 de agosto de 2018Blog

O mercado de trabalho está escasso de bons profissionais e não é só pela falta de qualificação não, é pela falta de compromisso, de responsabilidade, de vestir a camisa da empresa.

Trabalhei no Departamento Pessoal de uma Pousada onde pude ver a triste realidade que a sociedade está vivendo. A principal característica observada foi de profissionais recém formados de pouca ou sem experiência querendo ocupar cargos altos e com salários elevados. Outro ponto muito comum foi a falta de importância que tem se dado desde a formatação de um bom currículo até a pontualidade, postura e traje para uma entrevista. Nota-se também o pouco de tempo de empresa das experiências anteriores, o que leva-nos a questionar as competências do entrevistado.

Esses são alguns aspectos corriqueiros apontados antes de uma contratação. Pós admissão, infelizmente, apresentam-se outros tantos.

Uma frase muito escutada dentre as rodas de conversas internas é: “pense em você, pois a empresa nunca vai te valorizar”. Realmente, olhando por outro lado também é difícil encontrar empregadores que reconhecem, elogiem e coloquem seus funcionários em primeiro lugar.

Porém, se em cada emprego você pensar desta forma, nunca encontrará o sucesso. Uma vez, enquanto eu desabafava com um amigo sobre meu desânimo em relação à alguns problemas internos, me contou a seguinte história:

“Entrou na bolsa de valores para a vaga de mensageiro, juntamente com outro colaborador. Este teve um problema de saúde e teve que se afastar por três meses. Seu superior então lhe deu duas opções: ou ele faria o trabalho de ambos sozinho ou seria contratado outra pessoa. No intuito de garantir o trabalho de seu amigo quando estivesse apto a voltar, ele escolheu fazer o trabalho de ambos. Nesse período, ele foi se destacando pela pró-atividade e dedicação. Quando seu amigo voltou, ele recebeu uma oportunidade de subir de cargo, trabalhando em uma área que gostava e que podia mostrar suas habilidades.

E foi o que ele fez. Após ganharem cursos de Excel avançado, ele em conjunto com sua equipe, criaram um sistema que diminuía pela metade uma tarefa em específico do setor, podendo aproveitar o tempo para outras coisas. Foi passando-se os anos e ele estava se sentindo desanimado, pois sentia estar em uma zona de conforto sem aprender mais nada.

Seu rendimento havia diminuído. Enquanto seu colega atendia de 500 a 600 ligações por dia, ele fazia de 300 a 400. Foi então que abriu vaga para um cargo superior, sendo ele e seu colega de setor os candidatos à vaga. Porém ele estava estagnado, não estava mais estudando nem se aperfeiçoando. Ao invés disso, seu colega fazia ao contrário. Saído o resultado, óbvio por sinal, seu concorrente ganhou. Ele ficou chateado, pois ele sentia-se injustiçado, visto que ele fez tanto pela bolsa através do sistema que criou.

Porém para este mérito ele já havia sido recompensado, com aumento de salário, bonificações, cursos gratuitos, etc. Pós isso, ele acabou saindo, pois cada vez mais estava desempolgado”.

O relato de meu amigo era para me dizer que sempre terão fases boas e ruins dentro do nosso trabalho, mas que sempre devemos superar e buscar aprender sempre, para nos destacarmos e termos boas oportunidades.

Um conselho para você que está lendo este artigo: vista a camisa da empresa, se empenhe em aprender, não só sobre a sua função, mas sobre tudo o que puder, dê o seu melhor, estudo, pois mais além o seu diferencial no mercado de trabalho será o preparo e a segurança no que faz, que é o que as empresas buscam hoje e está cada mais difícil de encontrar.

 

Leave a Reply