Arquivos Marketing - CRM7 - Zoho Partner Brasil
Category

Marketing

Social Selling

By | Blog, Gestão de projetos, Marketing, Processos de negócios, Zoho

A menos que você tenha vivido dentro de uma caverna nos últimos cinco anos, você certamente já ouviu o termo “social selling”, a famosa venda social que todos estão falando sobre.

Embora essa prática do marketing digital tenha se tornado um desafio e até mesmo uma prioridade para algumas empresas, ainda há muita confusão sobre o termo e sobre o que ele é. Para entender o que é social selling, primeiro você precisa entender que as equipes de vendas atuais evoluíram.

Táticas de vendas antigas como cold calling, onde existe um contato totalmente sem contexto, já não performam mais tão bem quanto antes. Em vez disso, surge uma abordagem cada vez mais centrada no comprador.

Há, sem dúvida, uma mudança dramática acontecendo para as organizações de vendas de hoje, mas a evolução do cenário de vendas ainda está em andamento.

O próprio marketing de conteúdo está acompanhando essas evoluções.

Agora, o que é social selling?

Social selling é o processo de desenvolver, cultivar e alavancar relacionamentos em um ambiente digital para vender algum produto ou serviço. Esta definição analisa as vendas sociais da perspectiva do comprador.

Os compradores usam o Social Selling trabalhando em suas redes e digerindo o conteúdo para se armarem com informações e tomar decisões de compra mais precisas.

O Sucesso Do Social Selling

Ainda existem muitos mitos, suposições e falsidades sobre o que é a social selling, mas o que significa ser um vendedor social de sucesso?

Antes de revelar essa resposta é preciso entender que o social selling possui duas características muito importantes:

  • As mídias sociais são ferramentas altamente eficazes para identificar novas oportunidades de negócios.
  • Social media também é uma ferramenta altamente eficaz para identificar tomadores de decisão.

O que descobriram foi que os melhores vendedores que usam essa técnica lidam com essas duas características de forma muito diferente do que o resto, pois se concentraram nelas duas vezes mais do que a maioria dos outros vendedores.

O resultado é exponencial aos esforços investidos.

Isso deixa bem claro que para se ter sucesso no social selling, é fundamental basear suas estratégias nesses dois pontos acima mencionados e definir muito bem o seu público alvo e atingir seus clientes em potencial dentro do ambiente que eles mais frequentam.

Mitos Comuns Sobre Social Selling

Mito 1: Não preciso mais do telefone

Um dos equívocos mais comuns dos novatos é dizer “estou fazendo social selling, agora não preciso mais ligar”.

Errado!

O social selling não é um substituto para o telefone ou e-mail.

A empresa deve garantir que o conceito está integrado no seu processo de vendas atual. Fazer social selling é sobre construir relacionamentos sempre significativos, alimentá-los, agregar valor, conectar-se e socialmente cercar e ouvir os potenciais compradores.

Mito 2: LinkedIn Sales Navigator é tudo que eu preciso

Essa é uma suposição comum, já que a maioria das organizações de vendas acredita que, usando o LinkedIn Sales Navigator, você já está vendendo em redes sociais. Definitivamente, a plataforma evoluiu além da prospecção geral e se tornou uma excelente ferramenta de vendas centrada em contas.

Seu valor final é a velocidade de execução do LinkedIn e, dependendo do tamanho da sua organização, a velocidade de dimensionamento pode significar uma enorme economia de horas de vendas.

LinkedIn Sales Navigator é uma ferramenta poderosa, mas assim como pegar as chaves para uma Ferrari, você precisa saber como dirigir antes de pisar no acelerador.

A tecnologia pode ser um grande acelerador para a sua atual estratégia de social selling, mas, como diz o velho ditado, “um tolo com uma ferramenta ainda é apenas um tolo”.

Mito 3: O Marketing deveria fazer isso

Alinhamento de vendas e marketing é fundamental para o sucesso. As empresas precisam do setor de marketing para apoiar atividades de social selling com produção de conteúdo.

Fica cada vez mais claro que as equipes não trabalham mais em silos; em vez disso, programas de social selling bem-sucedidos exigem que vendas e marketing troquem constantemente recursos, expectativas e conhecimentos especializados.

No entanto, uma lição aprendida nos últimos tempos é que social selling é uma iniciativa liderada pelas vendas.

Com a devida responsabilidade pela liderança de vendas, um profissional de vendas aprenderá uma nova habilidade, e o líder de vendas será responsável por ajudar a garantir que a habilidade recém-adquirida seja acionada em um resultado de vendas.

Os Benefícios Do Social Selling

Social selling é sobre a integração de estratégias tradicionais com novas (venda por gatilho, venda por indicação, venda por insight).

É também envolver o comprador onde ele está hoje, entender sua jornada e usá-lo como ferramenta de pesquisa social, etc.

Como você deve saber, boa parte dos compradores de hoje realizam mais da metade de suas pesquisas online antes de fazer uma compra.

Naturalmente, o social selling é sobre atingir suas metas de vendas (otimizar seu funil de vendas, a receita e a geração de leads).

A maioria das organizações envolvidas com social selling relatam um impacto positivo no crescimento da receita.

Social selling está adotando uma abordagem multi-direcional, identificando as pessoas certas dentro de um grupo de compras e envolvendo-as.

Portanto, identificar as oportunidade e fazer um bom uso do social selling pode fazer toda a diferença para você e sua equipe.

Anúncio LinkedIn: O Manual Básico Para Sua Primeira Campanha

By | Blog, Marketing, Processos de negócios, Zoho Social

Quando a maioria das pessoas pensam no LinkedIn, elas pensam em networking e negócios.

Eles sabem que a plataforma é ótima para manter contato com profissionais e fazer novas conexões. Mas o que eles não percebem é que também pode ser uma plataforma de marketing digital muito eficaz.

Com LinkedIn é possível que você promova sua empresa diretamente a profissionais interessados e inclua várias opções exclusivas de segmentação com base no histórico profissional de cada uma delas.

Tornando especialmente eficaz para vendas B2B e serviços profissionais.

Apenas porque você não se enquadra nesses nichos, não significa que você deva ignorar a plataforma que oferece um poderoso grupo demográfico de profissionais de todas as idades e níveis de experiência. Se você é como muitos outros proprietários de empresas e gerentes de marketing, provavelmente já considerou a publicidade no LinkedIn.

Afinal, se o seu público está investindo seu tempo no LinkedIn, não é uma má ideia investir parte do seu orçamento de marketing em anúncios sociais.

Então, o que está te impedindo? Se você é novo na plataforma de anúncios, talvez não saiba por onde começar. O artigo de hoje orientará você no processo de criação de uma campanha a partir do zero com algumas dicas úteis ao longo do caminho.

Por Que O LinkedIn Fica Esquecido?

Você já fez uma campanha no LinkedIn? Se não, você não está sozinho. A plataforma de anúncios do LinkedIn geralmente é negligenciada pelos profissionais de marketing e pelos planejadores de mídia atuais. Isso pode ser devido a vários equívocos ou desafios, como:

  • O LinkedIn não é uma rede social típica; mas também não é uma verdadeira plataforma de conteúdo.
  • LinkedIn está focado em conexões de negócios; então, os profissionais de marketing tendem a pensar nisso apenas como B2B.
  • O LinkedIn tem um público muito, muito menor do que o Google ou o Facebook.
  • O LinkedIn não possui a integração de plataformas de gerenciamento de lance profissional.

A verdade é que a maior barreira para o uso dessa rede social é o fato de que ela parece ser algo “formal” demais para pequenos e médios empreendedores e outros profissionais autônomos.

Mas não se engane!

Esse estereótipo já foi superado há tempos e agora, mais do que nunca, o LinkedIn é um verdadeiro mar de oportunidades e negócios para todos aqueles que ousam se aventurar sabiamente por ele.

Qual O Valor Do LinkedIn Para Marketing?

Podemos perceber o LinkedIn como um canal de comunicação altamente segmentado que oferece grandes oportunidades aos profissionais de marketing. Para começar, tem um alcance considerável – mais de 500 milhões de membros em todo o mundo, com uma estimativa de 45 milhões no Brasil.

E, embora alguns possam dispensar seu público “menor”, ​​o LinkedIn pode realmente ajudá-lo a alcançar um público muito preciso. Isto é em grande parte devido a dois fatores:

  • O LinkedIn oferece ótimas opções de segmentação, logo, você pode escolher segmentar por cargo, empregador, função, habilidades e interesses;
  • Os perfis do LinkedIn contêm informações “profissionais” mais detalhadas e atualizadas em comparação com o que as pessoas listam em seus perfis pessoais no Facebook, etc.

Além disso, o LinkedIn agora fornece valor adicional através do conteúdo com seus esforços “Influencers” e “Pulse”.

Entre essas duas iniciativas e o valor das atualizações e das histórias compartilhadas, o LinkedIn evoluiu para uma plataforma de conteúdo que fornece um feed de notícias profissional e empolgante.

Além disso, a plataforma de publicidade do LinkedIn tem uma sensação semelhante às oferecidas pelo Google, pelo Facebook e outras redes sociais.

Por exemplo, ele permite que você crie diferentes tipos de anúncios, crie agrupamentos lógicos, defina lances para campanhas específicas e avalie o desempenho com métricas como impressões, cliques e conversões.

Será Que O LinkedIn É Para Você?

Agora que você sabe por que deveria considerar a publicidade do LinkedIn, é importante descobrir se a plataforma seria adequada às suas necessidades. Sempre que olhar para uma campanha, faça algumas perguntas-chave (veja abaixo). Se puder responder “sim” a qualquer uma deles, saiba que os anúncios do LinkedIn são a escolha certa para o trabalho:

1. Conheço Os Cargos Do Meu Público-Alvo?

Como o LinkedIn oferece segmentação por cargo, ele pode ajudar você a identificar seu público.

Por exemplo, se você estiver cuidando do departamento de marketing de uma faculdade de direito que ajude os assistentes jurídicos a se tornarem advogados, essa opção de segmentação permitirá que você concentre seus esforços nos indivíduos que têm “assistente jurídico” como título de trabalho.

2. Eu Sei Onde Meu Público-Alvo Trabalha?

Esse método de segmentação pode ser usado para várias finalidades diferentes.
As organizações podem utilizá-lo para o recrutamento, usando-o para atingir os funcionários dos concorrentes.

Ele também pode ser usado para uma abordagem de vendas direcionada, pois pode colocar sua marca na frente das pessoas certas em uma empresa para a qual você está tentando vender. Além disso, essa opção de segmentação pode ser uma excelente ferramenta de busca de emprego – os indivíduos podem usá-la para colocar seu nome na frente dos responsáveis ​​pela tomada de decisões em uma empresa para a qual desejam trabalhar.

3. O Meu Público Tem Habilidades / Interesses Únicos?

A capacidade de direcionar por habilidades e / ou interesse é ótima para todos os tipos de empresas profissionais.

Por exemplo, um fornecedor de software de análise pode usá-lo para segmentar indivíduos que tenham software competitivo ou idiomas de análise específicos listados na seção de habilidades de seu perfil do LinkedIn.

Como Começar?

Começar uma campanha publicitária e escolher seu público-alvo é geralmente uma das partes mais assustadoras do processo de anúncios pagos no LinkedIn.

Uma vez iniciado, no entanto, não é tão complicado quanto você imagina. Basta seguir estes passos:

  • Para começar, é necessário criar uma conta no Campaign Manager do LinkedIn (onde você gerencia e otimiza seus anúncios)
  • Você será questionado sobre qual dos formatos de anúncio gostaria de exibir e poderá saber mais sobre as diferentes opções (recomendamos Sponsored Content no feed de notícias e Text Ads)
  • Em seguida, digite sua Company Page quando for perguntado para qual conta executar a campanha e dê um nome à campanha
  • Depois de atribuir um nome à sua campanha, você terá a opção de promover postagens recentes da página da sua empresa ou alguma outra landing page. Selecione um (ou vários) deles ou crie um novo post para promover
  • Depois de criar ou selecionar suas postagens, a próxima etapa é segmentar seu público. Use os diferentes critérios de segmentação para segmentar suas personas ideais, concentrando-se na localização, idade, sexo, setor, tamanho da empresa, função do trabalho e habilidades profissionais
  • A etapa final depois de escolher seu público-alvo é determinar seu tipo de lance, custo do lance, orçamento diário e duração da campanha. O LinkedIn recomendará um preço de lance para seu público alvo (custo por clique). Você pode alterá-lo conforme o ajuste e definir o orçamento geral. Quanto melhor o lance, maior a chance da sua peça ser exibida e consequentemente maior a chance do seu target clicar no anúncio.

 

Quanto Gastar?

A questão de quanto gastar em anúncios sociais é aquela pergunta que quase sempre engana os iniciantes.

Na realidade, não há uma resposta única para todos, pois varia de uma empresa para outra com base no orçamento de marketing e no valor que desejam alcançar com seus anúncios.
Se você está apenas começando, não há problemas em testar a ferramenta com alguns testes de baixo orçamento, nos quais você pode descobrir o que funciona e o que não funciona.
Depois de criado um anúncio, o LinkedIn recomendará um preço de lance para o seu público, que é baseado no que outras empresas pagam para alcançar o mesmo público com seus anúncios.
Partindo desse ponto, você pode adotar duas abordagens:

  • Defina um limite de quanto você deseja gastar de acordo com o preço do lance e com o que deseja gastar com seu orçamento mensal (por exemplo, R$ 250 / semana a R$ 10 / clique)
  • Use as metas da campanha e as métricas de desempenho da página para determinar quanto você deve gastar para gerar leads na quantidade desejada.

Por Fim…

Agora você tem tudo o que precisa para ir e configurar suas primeiras campanhas de publicidade e criar o anúncio LinkedIn matador.
Não se preocupe em monitorar muito as campanhas no dia-a-dia.

Na verdade, é recomendado que você evite fazer isso. Campanhas flutuam naturalmente todos os dias e você pode tomar decisões ruins se você se envolver nessas mudanças diárias.

Você só precisa fazer o check-in uma vez a cada duas semanas para garantir que seus custos sejam razoáveis e que seus leads estejam convertendo bem.

Para B2Bs, nenhuma outra rede social chega perto de ser tão eficaz quanto o LinkedIn, e seus recursos de anúncio são incomparáveis quando se trata de segmentar seu público.

Espero que estas dicas tornem mais fácil começar.

Mais uma vez, quando se trata de gastar seu investimento em publicidade digital, você tem muitas opções.

Espero que este breve artigo tenha lhe dado algumas ideias sobre como você pode aproveitar a plataforma de publicidade do LinkedIn para sua próxima campanha.

O Que É E Por Que Ter Um Setor De Pré Venda Estruturado

By | CRM, Marketing, Processos de negócios

Você conhece tudo sobre seu fluxo regular de clientes em potencial?

Seus potenciais clientes têm intenção de comprar seu produto ou serviço?

Você está segmentando o público-alvo certo?

A resposta para essas perguntas é pré-venda.

A maioria das empresas desenvolveu um pipeline de vendas segmentados para lidar com as diferentes atividades de vendas – processo de pré-vendas, vendas, negociação, fechamento de vendas, estratégia de vendas, etc…
Quando você tem vários processos interconectados, é fácil avaliar e perceber qual parte das vendas é mais importante que a próxima. Por esse motivo, o processo de pré-venda costuma ocupar o segundo plano em aspectos aparentemente mais importantes das vendas, como fechamento, negociação e pós venda. Neste artigo, discutiremos a importância de ter um forte processo de pré-venda. Esperamos que esses fatos possam servir de incentivo para estabelecer e utilizar um processo de pré-venda organizado.

Por Que Ter Um Processo De Pré Venda

Para entender o processo de vendas, é preciso primeiro entender a finalidade e os benefícios das atividades de pré-vendas. Geralmente, você pode dizer que o propósito de um processo de pré-venda é conectar e entender seu público-alvo. Isso permite gerar o interesse em seus produtos antes da primeira abordagem. Para uma negociação significativa, você precisa primeiro coletar informações adequadas sobre o prospecte. Posteriormente, o processo de pré-venda envolve a suplementação do prospect com informações suficientes para um progresso adicional no processo de vendas. Você também precisa fornecer informações adequadas para complementar o cliente em potencial com dados para as etapas mais recentes de vendas.

Conheça alguns benefícios significativos de ter um processo de pré-vendas que melhorará a compreensão do cliente.

Aumenta O Número De Leads Qualificados

Um lead qualificado é um cliente em potencial com um orçamento dedicado e uma necessidade real para seu produto específico.
Uma qualificação de pré-venda permite que seus clientes potenciais se tornem bem informados sobre todos os produtos. Isso permitirá que seus especialistas em fechamento atendam a um grupo de clientes interessados ​​que tenham maior probabilidade de conversão. Um processo de pré-venda tornará seus clientes mais informados e interessados ​​em seu produto. Consequentemente, isso significará que seus clientes em potencial são mais qualificados do que de outra forma…

Além disso, ele permite que seu público seja mais envolvido com os aspectos certos de seu produto. Isso permite que seu público seja direcionado e engajado com as mensagens de marketing corretas. Isso criará um processo de vendas de longo prazo mais robusto e consistente na geração de prospectos.

Desenvolve Suas Habilidades De Vendas

O atual ecossistema de vendas exige que você tenha habilidades especializadas para levar seu lead adiante no pipeline de vendas. O processo de pré-venda permite que você tenha um processo de prospecção dedicado sem ter que assumir outras responsabilidades. Isso permite que as organizações forneçam maior expertise em áreas específicas de vendas.

Para começar, você deve ser capaz de prospectar o círculo completo de clientes. Isso pode ajudá-lo a acumular perspectivas no círculo correto de influência. Isso também garante que sua equipe de vendas tenha o conhecimento necessário no departamento em questão. Isso permite que a equipe de pré-vendas peneire livremente um grupo de clientes, permitindo que você se concentre em uma lista de um grupo de clientes em potencial de boa qualidade. Também é possível garantir que sua equipe esteja bem equipada para saciar qualquer consulta de pré-vendas específica.

Reduz O Ciclo De Vendas

Segundo estudos, a capacidade de responder os clientes com rapidez é um fator importante de conversão. Cerca de 40% das oportunidades permanecem sem algum tipo de atendimento. Esse tempo de resposta demorado é definitivamente um assassino de conversão!

Uma equipe de pré-vendas dedicada, equipada com uma plataforma unificada como um sistema CRM robusto, é uma maneira fácil de encurtar o ciclo de vida do lead. Um processo de pré-vendas dedicado permite segmentar e reduzir o tempo necessário para o processamento de cada lead.

Melhora O Gerenciamento De Leads

Alguns dos seus leads mais frios simplesmente se perdem no fluxo devido a recursos insuficientes de pré-vendas. De maneira oposta, isso pode facilmente se tornar o seu trunfo mais valioso. Você pode enfrentar esse desafio por meio da alocação inteligente de recursos. Um fluxo estruturado de processo pré-vendas permite empilhar e alocar recursos de forma mais produtiva. Também permite reduzir o tempo necessário para interagir com cada lead. Também é um fator definido que pode influenciar o ROI total.

Por exemplo, sua equipe de pré-vendas pode se concentrar na introdução do produto, no entendimento dos recursos essenciais e no lançamento final.

Cria Um Backlog Do Comportamento Do Seu Público

Em uma dinâmica de vendas moderna, entender o seu público é importante na mesma magnitude quanto possuir habilidades de comunicação nítidas. Com a compreensão do seu público-alvo, você pode conseguir uma ótima conexão em um mercado competitivo. Se você tem uma equipe de fechamento especialmente equipada, você pode ter melhores resultados do que focar exclusivamente na realização de determinados fechamentos.
Isso significa que sua equipe de fechamento não está especialmente preparada para gerenciar as vendas, mas para gerenciar objetivamente toda a responsabilidade de venda.

É A Base De Um Funil De Vendas Poderoso

Todas as equipes de vendas devem ter um fluxo regular de prospects de qualidade para gerar um fluxo de receita consistente. Isso exige que você tenha um processo de pré-vendas bem orientado.
Quase dois terços dos leads são gerados por alguma forma de atividades de inbound marketing.

Uma plataforma integrada de CRM de vendas oferece uma maneira permanente de melhorar seus processos de pré-vendas. Ele permite que você controle todas as responsabilidades e agilize o fluxo de dados para uma interface unificada. Isso também oferece uma visão geral completa que permite tomar decisões ideais em todas as interseções.

No artigo de hoje falamos sobre o fato da área de pré-venda não parecer tão charmosa quanto as áreas de negociação e fechamento, mas que ela é sem dúvida a base para um processo de vendas poderoso. Se os clientes que chegam até o fim do funil de vendas tiveram boas interações com o time de pré-vendas (ou inside sales), certamente eles estarão muito mais propensos e preparados para fechar o negócio com você e sua empresa.

Segmentação De Mercado: 4 Tipos Principais E Como Começar

By | Marketing

O processo de segmentação é a pesquisa de mercado que determina como sua organização divide seus clientes em grupos menores com base em características como idade, renda, traços de personalidade ou comportamento. Esses segmentos podem ser usados posteriormente para otimizar produtos e criar ações de marketing para diferentes clientes.

É importante dizer que em sua essência, segmentação de mercado é a prática de dividir seu mercado alvo em diferentes grupos acessíveis. A segmentação de mercado cria subconjuntos de um mercado com base em dados demográficos, necessidades, prioridades, interesses comuns e outros critérios psicográficos ou comportamentais usados para entender melhor o público alvo.

Existem diversos tipos de segmentação, mas os 4 tipos mais comumente usados são os seguintes:

  • demográfica;

  • comportamental;

  • psicográfica;

  • geográfica.

Vale a pena saber que a segmentação de mercado é um dos mais antigos truques de marketing nos livros. A importância da segmentação está no fato de que com a população e as preferências dos clientes se tornando mais amplas, e as opções competitivas se tornando mais disponíveis, segmentar públicos se tornou uma etapa crítica em qualquer plano de negócios ou marketing.
Na verdade, as pessoas lançam produtos ou serviços tendo a segmentação de mercado em mente. Existem três maneiras de classificar o que o cliente deseja: necessidades, desejos e demandas.
No entanto, para decidir as necessidades, desejos e demandas, você precisa primeiro realizar a segmentação. E na segmentação, o primeiro passo é determinar que tipo de cliente prefere seus produtos. Depois é preciso analisar quem iria querer o seu produto e se ele se enquadra no segmento de necessidades, no segmento de desejos ou no segmento de demandas.

Existem 4 tipos diferentes de segmentação de mercado e todos eles variam em sua implementação no mundo real. Vamos discutir cada um deles em detalhes.

Tipos de Segmentação de Mercado

1- Segmentação Demográfica

A segmentação demográfica é um dos tipos de segmentação de mercado mais simples e mais amplamente usados. A maioria das empresas o utiliza para obter a população certa ao usar seus produtos. A segmentação geralmente divide uma população com base em variáveis.
Assim, é possível afirmar que a segmentação demográfica também tem suas próprias variáveis, como idade, sexo, tamanho da família, renda, ocupação, religião, raça e nacionalidade.
Segmentação demográfica pode ser vista no mercado automobilístico.
O mercado automobilístico tem diferentes faixas de preços nas quais os automóveis são fabricados. Por exemplo – FIAT tem a faixa de preço médio/baixo e, portanto, fabrica carros dirigidos por pessoas mais comuns. Audi e BMW possuem uma faixa de preço alta e focam em grande parte os compradores de luxo.
Assim, neste caso, a segmentação está sendo feita com base na renda que faz parte da demografia. Da mesma forma, idade, estágios do ciclo de vida, gênero, etc. podem ser usados ​​para o tipo demográfico de segmentação de mercado.

2- Segmentação Comportamental

Esse tipo de segmentação de mercado consiste em dividir a população com base em seu comportamento, uso e padrão de tomada de decisão.
Por exemplo, os jovens têm preferência pela pasta de dentes Closeup, enquanto a mães de família tendem a comprar as pastas da Colgate. Este é um exemplo de segmentação baseada em comportamento. Com base no comportamento de um indivíduo, o produto é comercializado.
Esse tipo de segmentação de mercado está em alta, especialmente no mercado de smartphones.
Por exemplo – o Blackberry foi lançado para usuários que eram pessoas de negócios, a Samsung foi lançada para usuários que gostam do Android e gostam de vários aplicativos por um preço mais acessível, e a Apple foi lançada para os clientes premium que querem fazer parte de um nicho exclusivo e popular .
Outro exemplo de segmentação comportamental é o marketing durante as datas comemorativas.
Digamos que no Natal, os padrões de compra serão completamente diferentes em comparação com os padrões de compra em dias normais. Assim, a segmentação de uso também é um tipo de segmentação comportamental.

3- Segmentação Psicográfica

Segmentação psicográfica é aquela que usa o estilo de vida das pessoas, suas atividades, interesses e opiniões para definir cada segmento de mercado. Segmentação psicográfica é bastante semelhante à segmentação comportamental. Mas a segmentação psicográfica também leva em conta os aspectos psicológicos do comportamento de decisão de compra do consumidor. Esses aspectos psicológicos podem ser o estilo de vida dos consumidores, sua posição social e sua AIO (Atividades, Interesse e Opiniões).
Aplicação de segmentação psicográfica pode ser visto em todo hoje em dia. Por exemplo, a Zara comercializa-se com base no estilo de vida, onde os clientes que querem as roupas mais recentes e diferenciadas podem visitar as lojas da Zara. Da mesma forma, a Ralph Lauren se dedica ao estilo de vida de escritório de primeira linha, onde provavelmente seus chefes e super chefes compram seus incríveis modelitos. Assim, este tipo de segmentação baseia-se principalmente no estilo de vida ou AIO.

4- Segmentação Geográfica

Esse tipo de segmentação de mercado divide as pessoas com base na geografia.
Seus clientes em potencial terão necessidades diferentes com base na geografia em que estão localizados. Por exemplo, pessoas que estão localizadas em áreas não municipais podem precisar de um purificador de água, enquanto aquelas localizadas em áreas litorâneas podem precisar de mais protetores solares. Assim, a necessidade por um produto pode variar com base na geografia.
Da mesma forma, em países frios, uma empresa pode estar vendendo aquecedores, onde em países quentes, a mesma empresa pode estar mirando em máquinas de ar condicionado. Assim, muitos negócios usam a segmentação geográfica como base para segmentação de mercado.
Esse tipo de segmentação de mercado é o mais fácil, e foi muito usado na última década, onde as indústrias eram novas e o alcance era menor. Hoje com o marketing digital, o alcance é alto, mas os princípios de segmentação geográfica ainda são usados ​​quando você expande os negócios em áreas mais locais, bem como em territórios internacionais.

Como Começar Com A Segmentação

 

A segmentação de mercado não precisa ser complicada para ser eficaz. É necessário incluir cinco etapas principais de segmentação.

  • Realize Pesquisas Preliminares – Conheça melhor seus clientes fazendo algumas perguntas iniciais e abertas;
  • Determine como segmentar seu mercado: decida por quais critérios (por exemplo, dados demográficos, psicográficos, comportamentais ou geográficos) você deseja segmentar seu mercado.
  • Projete seu estudo – Faça uma mistura de questões demográficas, psicográficas, comportamentais e geográficas. Certifique-se de fazer suas perguntas quantificáveis.
  • Crie seus segmentos de clientes – analise suas respostas manualmente ou com software estatístico para criar seus segmentos.
  • Teste e repita – avalie seus segmentos garantindo que eles sejam úteis e úteis. Se não estiverem, tente segmentar com base em outros critérios.

 

Segmentação de mercado não é uma ciência exata, mas com certeza pode trazer ótimos resultados.
Convém comentar sobre suas descobertas para garantir que você tenha encontrado as melhores adaptações às características necessidades para sua estratégia de marketing, vendas e produtos.

Segredos Para Um Benchmarking De Sucesso

By | Marketing

Os benchmarks fornecem informações valiosas para os tomadores de decisão de uma empresa.

Os profissionais de marketing que sabem como suas campanhas de marketing se comparam aos principais concorrentes, podem usar essa análise competitiva para diferenciar suas ofertas.

Com referências estabelecidas, os funcionários de uma empresa podem avaliar mais detalhadamente o sucesso de sua empresa. Eles podem ver onde melhorias podem ser feitas e quais melhorias devem ser feitas.
Esse processo de benchmarking oferece às empresas a oportunidade de otimizar seus pontos fortes e explorar as fraquezas de seus concorrentes. Essa comparação é um processo de medir o desempenho de uma empresa em relação à concorrência e padrões do setor.

Assim é possível entender como as empresas que são referência obtiveram seu sucesso e ter uma melhor compreensão de como elas estão atuando no mercado.
Entender como o seu negócio se compara à concorrência é necessário para alcançar uma contribuição expressiva para o seu sucesso. O benchmarking pode ajudá-lo a avaliar a eficácia relativa de suas atividades comerciais, identificar pontos fracos e encontrar oportunidades de melhoria contínua.

Escolhendo Suas Métricas

O benchmarking de sucesso começa com uma ideia clara de onde você está começando e o que você está tentando alcançar.
Você pode identificar as principais métricas que ajudam você a entender como sua empresa está atingindo seus objetivos estratégicos. Por exemplo, se sua estratégia se concentra na inovação de produtos, uma métrica principal pode ser a porcentagem de suas vendas provenientes de novos produtos.
Outras métricas comuns incluem a satisfação do cliente, custos, níveis de desperdício e controle de qualidade, fidelidade do cliente, percentual de participação de mercado, eficácia de marketing e aquisição de novos clientes.
As métricas que você escolher devem estar diretamente ligadas ao sucesso de sua operação, isso é precisamente a mesma coisa do que dizer que qualquer melhoria que você possa fazer (mesmo as pequenas) teria um impacto significativo nos resultados.

Escolhendo Empresas Para Fazer O Benchmark

Embora você possa optar por comparar os departamentos internos uns contra os outros, a maioria dos testes de desempenho significará escolher empresas externas para avaliar sua organização.
Para tornar as comparações significativas, certifique-se de que os pontos de referências escolhidos sejam semelhantes em tamanho, estrutura e objetivos, e que você entenda as principais diferenças operacionais que possam afetar as métricas.
A escolha de comparadores altamente bem-sucedidos pode ajudar você a entender onde sua empresa pode fazer grandes melhorias.

Tipos De Benchmarking

Benchmarking Tradicional

O benchmarking é o processo que pode ser usado para avaliar o desempenho geral dos negócios em um nível estratégico. Por exemplo, você pode pesquisar se está cobrando os preços corretos em comparação com seus concorrentes ou se observa onde seus recursos estão concentrados.

Você pode querer realizar um exercício de benchmarking formal, comparando os pontos fortes e fracos do seu negócio com outra empresa e as normas do setor. Uma pesquisa como essa pode ajudar você a identificar quais alterações você pode fazer para melhorar seu desempenho.

Em alguns exemplos de benchmarking de preços, você pode perceber uma percepção negativa do cliente que você precisa corrigir, talvez alterando suas mensagens de marketing. Ele também pode ajudá-lo a identificar onde está sua vantagem competitiva e como você pode transformar isso em lucro.

Benchmark Funcional

Os benchmarks funcionais comparam as métricas de desempenho aos melhores do setor de outras empresas e organizações. No entanto, se comparar cegamente com outra empresa é arriscado e pode não ser a melhor estratégia de benchmarking.
Em geral, os benchmarks funcionais são uma maneira aceitável de avaliar o desempenho de seus canais de marketing digital. Mas certifique-se de examinar se você está se colocando contra os pares reais. “Indústria” e “relevância” não são necessariamente a mesma coisa. Diferenças em produtos, público-alvo e localização podem distorcer sua estratégia de benchmarking.

Benchmark Competitivo

Todos nós queremos saber como está o nosso nível quando nos confrontamos com a concorrência.

Alguns podem até comparar seu market share com o de seus rivais mais próximos.
Ainda assim, algumas métricas dos concorrentes são mais fáceis de encontrar do que outras.

Dados de SEO e mídia social estão disponíveis para consumo público se você souber onde procurar. No entanto, muitos dos principais indicadores de desempenho mais perspicazes (taxas de conversão, ROI ou Lifetime Value) serão quase impossíveis de encontrar.

Outra armadilha comum de benchmarking competitivo é o potencial para comparações falhas. É importante destacar que os benchmarks competitivos oferecem informações valiosas sobre a oposição.

Mas nem sempre são os melhores pontos de comparação se você precisar de dados que não sejam públicos. Para análises genuinamente abrangentes, você pode muito bem precisar olhar para dentro.

Benchmark Interno

Alguns dos benchmarks mais úteis que você encontrará serão aqueles que vêm de dentro da própria empresa.

Se você está examinando o tráfego médio do website, o envolvimento em mídias sociais ou o ROI; dados históricos oferecem os 3 pontos de um excelente benchmarking.: é relevante, confiável e realista.

Você pode considerar anomalias como restrições orçamentárias, excedentes de receita e até sazonalidade para determinar quando faz sentido elevar o nível e quando não faz sentido.
Não há dúvida de que a crescente pressão para demonstrar a eficiência das operações e prosperar em um ambiente cada vez mais competitivo é um fator determinante para o maior uso de técnicas de benchmarking.

O benchmarking permite que as instituições se concentrem em problemas específicos, isolem as oportunidades de melhoria e identifiquem os pontos fortes que devem ser preservados.

7 Dicas Para Criar Uma Headline Poderosa!

By | Marketing, Zoho Social

Se você já pescou, sabe o quão importante é escolher bem a isca.

Você não pode pescar sem isca, e é ela que determina o tipo de peixe que você pega.

O mesmo também é verdade para o conteúdo que você cria para o seu site ou blog. Você precisa de isca para ser notado e obter mordidas na forma de visitantes, compartilhamentos e backlinks!

O título, ou headline ou título H1, é a isca no seu anzol do marketing de conteúdo. Você é quem está pescando, e seus leitores e possíveis clientes são, adivinha quem … o peixe!
Dependendo do tipo de peixe que você está tentando pegar, de onde estão seus peixes e do que comem, você utilizará diferentes tipos de iscas para pescar. OK, chega de analogias sobre pesca, vamos dar um tempo para aprender um pouco mais sobre as headlines.

O Exatamente É Uma Headline?

Uma headline é exatamente como as manchetes de jornais impressos e artigos de revistas, exceto pelo fato de estarem em páginas da web. É através dela que você vai capturar a atenção e a curiosidade de seus leitores. É basicamente a porta de entrada para sua estratégia de inbound marketing. Pensando nisso, separamos 7 dicas que podem turbinar sua criação de headlines matadoras que realmente geram resultados e que podem fazer com que você sempre apareça na primeira página.

Dica 1: Adicione Números e Símbolos

Há algo nos títulos que começam com números e contém parênteses. pela razão que os números como dígitos funcionam surpreendentemente bem, mesmo quando comparados com os mesmos números escritos como palavras.

“As 5 melhores praias do mundo” geralmente oferecem uma taxa de engajamento que é o dobro de “Cinco melhores praias do mundo”.

Adicione um bônus ao seu título. Inclua entre parênteses ou colchetes. Caracteres especiais destacam seu título e as pessoas clicam mais nele.

  • Estratégia de Marketing de Conteúdo que Você Obtém Resultados [SLIDES]
  • Um guia para iniciantes no Pinterest + [PDF download]
  • Quão poderoso se tornará o marketing de vídeo? [infográfico]

Dica 2: Utilize A Escassez

Se você deixa suas headlines urgentes e oportunas, geralmente pode despertar a curiosidade de seus leitores. Se você é um instalador de piscinas residenciais, pode escrever seu título para ler:

“Apenas mais 5 dias para aproveitar nossa instalação de verão especial”.

Dica 3: Crie Listas

Os humanos amam naturalmente e respondem à ordem. As listas são uma ótima maneira de aproveitar esse amor. Você pode usar listas de “As 10 melhores…”, “As 7 piores…”, ou qualquer outra lista que você possa imaginar! Por exemplo, se você é um fotógrafo profissional, pode escrever seu título para ler:

“Os 10 destinos de casamento mais românticos”.

Dica 4: Mostre Onde Seu Leitor Pode Chegar

Crie uma headline sobre os resultados que seus leitores podem obter depois de ler e agir conforme você ensina no seu post. Por exemplo, se você é um especialista em cuidados com a pele, seu título poderia ser: “Redução notável das rugas depois de apenas 5 utilizações do Produto X – Veja os resultados”.

Dica 5: Economize Tempo

Com todo mundo sendo tão ocupado hoje em dia, economizar alguns minutos aqui e ali é realmente valioso para a maioria das pessoas.
Mostre o valor de reduzir o tempo de uma tarefa tipicamente árdua. Por exemplo, se você vende lençóis de luxo e roupas de cama, o título pode ser: “Economize 5 minutos arrumando a cama todos os dias com essas dicas”.

Dica 6: Economize Dinheiro

Às vezes, o valor é transmitido através de reais e centavos poupados ou ganhos ao fazer algo.

Use isso a seu favor, por que se você vende sistemas de climatização, seu título poderia ser:

“5 maneiras de reduzir sua conta de energia neste verão”.

Dica 7: Seja Curto E Direto

As melhores headlines são aquelas que você pode ler na íntegra nas classificações da pesquisa do Google. Isso significa que você precisa mantê-los com menos de 70 caracteres ou 6 a 8 palavras.

Isso ajuda em termos de SEO e também legibilidade. Se alguém não conseguir ler todo o seu título no ranking do Google, ele terá menos chances de clicar. Você precisará testar continuamente esses diferentes tipos de título para determinar quais são mais eficazes para gerar tráfego, leads, clientes, compartilhamentos, comentários e outros tipos de envolvimento.

Além disso não há dois públicos exatamente iguais portanto eles podem compartilhar muito em comum, mas todos responderão de maneira diferente. Ao adicionar dúvidas, valor e mistério aos seus títulos, você tem mais chances de atrair mais visitantes qualificados a partir dos resultados da pesquisa orgânica. Na próxima vez que você escrever um artigo, tente usar uma dessas dicas. Como resultado pode ser que você não consiga gerar THE HEADLINE logo de cara, ou seja, o melhor título que você possa imaginar.

É com a prática que você se torna capaz de criar headlines poderosas e funcionais.

O que é Buyer Persona? Essencial Para Sua Estratégia de Marketing Digital

O que é Buyer Persona? Essencial Para Sua Estratégia de Marketing Digital

By | Marketing

Entenda O Que É E Como A Buyer Persona Pode Mudar Seu Negócio

A Buyer Persona no marketing de conteúdo é a definição dos clientes ideais do seu produto ou serviço. Isso pode ajudá-lo a conhecer e entender melhor o seu público, suas necessidades e aspirações.

Com isso, podemos definir estratégias específicas para esses perfis, entregando conteúdo realmente interessante e aumentando os níveis de conversão de leads para clientes.

Qualquer estratégia de marketing digital deve se basear em uma Buyer Persona bem definida e desenvolver a jornada de compras do cliente, por meio da qual conduziremos nossa Buyer Persona até que ela faça uma compra.

O objetivo de ter uma Buyer Persona muito detalhada é ser capaz de oferecer ao nosso alvo o conteúdo de interesse para ele, sendo assim mais eficaz em nossas estratégias de inbound marketing e alcançando taxas de conversão muito melhores.

Para saber mais sobre o conceito, o primeiro passo é entender que “Buyer Persona” aparece pela primeira vez na década de 1990, no livro de Alan Cooper “The Inmates Are Running the Asylum”, que procura entender melhor os aspectos individuais, motivações, desafios, necessidades e preocupações do público de uma empresa através de um método muito mais próximo e individualizado.

Foi assim que surgiu o termo Buyer Persona, que hoje se tornou básico e indispensável para lançar as bases de qualquer projeto e estratégia do time de marketing em que queremos ter sucesso.

O Que É Buyer Persona?

Buyer Persona é a descrição quase real e altamente detalhada da nossa meta, com a qual a empresa pode conhecer melhor o cliente, quem ele é e o que ele precisa.

Com essa informação bem utilizada, o objetivo é se tornar mais preciso em nossos processos de marketing digital.

Buyer Persona, em suma, é a descrição perfeita da pessoa que compra seu produto ou serviço.

Portanto, se você souber quem são as pessoas que comprarão seu produto ou serviço, você não acha extremamente útil trabalhar se baseando nessas informações e oferecer seus produtos e serviços diretamente a eles sem perder mais tempo?

Como A Buyer Persona Ajuda Sua Estratégia De Marketing De Conteúdo?

A Buyer Persona é quem vai interagir com o conteúdo que você cria e publica em seus sites.

Portanto, você deve considerar sua Buyer Persona no centro de sua estratégia de marketing e como um pilar de tudo o que você faz na estratégia.

Existem diferentes aspectos dentro de sua estratégia da sua equipe de marketing de conteúdo em que sua Buyer Persona é essencial:

  • Tom de comunicação corporativa

  • Tom de comunicação em suas postagens e redes sociais

  • Redes sociais onde seu alvo está localizado

  • Tipo de conteúdo que deve ser criado e entregue

  • Tipo de palavras-chave que usaremos

  • Fases da jornada de compra pelas quais nosso alvo passa

  • Formato do conteúdo que publicamos

  • Tipo e formato de CTA e Geração de leads que oferecemos

Por Que A Buyer Persona É Importante?

Uma Buyer Persona ajuda a visualizar com quem você está falando enquanto cria cada parte do seu mix de marketing.

Tudo, desde e-mail marketing e conteúdo de mídia social até blogs e vídeos, deve ser criado em torno de uma Buyer Persona.

Imagine que você receba um e-mail de uma loja de artigos esportivos local que fala sobre: “Oferta só para quem não é mão de alface!”.

Talvez você não saiba o que é um “mão de alface”. (é o goleiro que não segura a bola direito e toma o gol)

A mensagem não vai entrar em contato com você e você pode não estar inclinado a clicar e ler o e-mail.

Agora, se você fosse um grande fã e de futebol e o Campeonato Brasileiro estivesse em pleno andamento, então provavelmente você estaria muito mais interessado em ver o que é a oferta.

O e-mail pode até incluir algumas biografias de jogadores de futebol ou livros sobre o esporte.

Isso seria realmente direcionado e valioso para o fã de futebol receber o e-mail!

Agora, como você pode aplicar esse tipo de estratégia de marketing digital na sua audiência?

Muitas marcas têm várias Buyer Personas, dependendo do público alvo, especialmente se você estiver atendendo a diferentes mercados com seus vários produtos e serviços.

A maneira como você fala com a Maria vai ser diferente do jeito que você fala com o João, e é assim que deve ser.

Você quer construir esse relacionamento com cada um deles e, quando há uma desconexão, seus relacionamentos não serão tão fortes quanto deveriam.

Crie Experiências Personalizadas Para Cada Pessoa

A melhor parte de ter Buyer Personas bem definidas é que fica mais fácil criar experiências personalizadas para seus clientes. Isso é crucial porque a personalização pode ter um impacto enorme nas decisões de compra das pessoas.

Na verdade, a maioria dos consumidores estão mais propensos a comprar de varejistas que os reconhecem pelo nome, conhecem seu histórico de compras e fornecem recomendações de compra de acordo.

Você pode criar experiências únicas personalizando sua mensagem e sua entrega de conteúdo para diferentes Buyer Personas.

Um exemplo disso em ação seria configurar uma página de destino diferente para cada Buyer Persona, na qual a copy (texto persuasivo) atende especificamente às necessidades e preferências dessa pessoa.

Por exemplo, a copy da página de destino para viajantes com baixo orçamento poderia destacar o preço com desconto de seus pacotes de viagem.

Turistas de luxo, por outro lado, podem ver uma imagem de um resort luxuoso com copy que destaca as atividades de lazer disponíveis.

Personalize A Copy Do Anúncio

Você também pode usar suas personas para exibir anúncios relevantes para diferentes tipos de clientes em potencial.

O que atrai certo tipo de comprador pode não ser necessariamente tão atraente para outro comprador.

Se considerarmos novamente nosso exemplo de agência de viagens, um indivíduo de alta renda que desfruta de férias de luxo pode não se sentir compelido a clicar em um anúncio para pacotes de férias de baixo orçamento.

Da mesma forma, alguém que precisa de férias em família baratas pode não estar tão interessado em um anúncio promovendo locação de luxo na praia.

Você pode desenvolver diferentes abordagens de anúncios para atrair a personalidade de cada comprador.

Você pode entregar a copy certa aos clientes depois de determinar qual Buyer Persona eles parecem ser os mais adequados.

Como Definir A Buyer Persona?

A descrição da sua Buyer Persona deve ser muito detalhada, respondendo a perguntas e detalhes muito específicos. Nossa Buyer Persona deve até mesmo ter um nome completo.

Os aspectos que devem ser tratados são muitos, mas os campos mais importantes que você deve descobrir sobre a sua Buyer Persona são:

  • Nome

  • Idade e status familiar

  • Localização

  • Emprego atual e salário

  • Suas preocupações: o que ela está procurando, o que ela precisa

  • Suas motivações: desafios e objetivos

Propomos algumas ideias que você pode colocar em prática para obter informações sobre sua Buyer Persona:

  1. Analise o comportamento dos visitantes do seu site e seus leads atuais. Tire conclusões de padrões comuns entre todos eles.

  2. Solicitar informações relevantes para definir seu cliente ideal nos formulários do seu site.

  3. Faça entrevistas com o seu alvo por telefone, email ou pessoalmente e tente descobrir quais são as suas motivações e preocupações.

Conclusão

Essas dicas devem ajudar você a gerar mais vendas criando Buyer Persona precisas.

Então não tenha medo de gastar um pouco de tempo no processo de pesquisa.

Você precisa ser muito minucioso se quiser criar personas que gerem valor real para o seu negócio.

Trabalhar sua Buyer Persona é estabelecer as bases para uma estratégia de marketing digital bem-sucedida.

Conheça bem quem é sua Buyer Persona, vá até ele, dê a ele o que ele precisa, ajude-o a resolver seus problemas e supere seus desafios e ele acabará se tornando um cliente.

10 Estratégias de Marketing Para Lançar Produtos no Mercado

By | Marketing

Lançar um novo produto no mercado pode ser o começo de um grande sucesso … ou um fiasco total. É um momento chave que precisa de todo o cuidado e atenção que podemos ter.

O termo “growth hacking” se tornou uma palavra de ordem ao longo dos últimos anos, referindo-se a estratégias de marketing digital não tradicionais para garantir um crescimento rápido. Muitas startups usam esses tipos de técnicas para garantir uma rápida penetração no mercado, mas o growth hacking pode ser tão útil para empresas de qualquer tamanho e experiência.

Hoje, gostaríamos de compartilhar com você 10 estratégias de marketing baseadas no growth hacking para lançar seu produto.

10 estratégias de marketing para lançar seu produto

1 # Organize uma oferta de pré-lançamento

Para um produto decolar rapidamente, você precisa criar um sentimento de expectativa e entusiasmo pelo lançamento, começando semanas ou até meses de antecedência.

Uma das técnicas mais populares para fazer isso é através de brindes e concursos pré-lançamento. Dê o seu produto para um grupo exclusivo de participantes sortudos, em troca de eles ajudarem a espalhar a palavra. Há uma variedade de opções: concursos de fotografia, prêmios para as ideias mais criativas, brindes, etc.

Seja qual for a opção escolhida, tente encontrar um sistema que a torne tão viral quanto possível, por exemplo, fazendo com que os usuários compartilhem sua participação em suas mídias sociais. Seja criativo em suas mensagens para garantir que as pessoas não vejam isso como spam e ofereçam pontos extras para trazer amigos.

 

2 # Aumente sua visibilidade orgânica

Ou, em outras palavras, o SEO perfeito.

Ter um site bem posicionado nos motores de busca dá a você uma “base” de tráfego para se comunicar sobre seus novos produtos, o que torna as coisas muito mais fáceis do que ter que começar do zero.

Para que a otimização do mecanismo de pesquisa funcione, você precisa fornecer aos usuários informações que realmente serão úteis para eles. Concentre-se especialmente na otimização de três áreas:

  • Palavras-chave. Não pense no que você chamaria ou como descreveria seu produto, mas sim como um novo usuário o procuraria.
  • Descrições Meta. Os usuários veem meta descrições como o resumo do seu site nos mecanismos de pesquisa, por isso seria curto e atraente. Mas cuidado! Às vezes, o Google ignora essa descrição e mostra as primeiras linhas de texto na sua página, portanto, certifique-se de que elas também sejam adequadas.
  • Os primeiros parágrafos do texto. O objetivo é certificar-se de que sabe qual é o seu produto na menor quantidade possível de tempo de leitura.

 

3 # Criar conteúdo compartilhável

A criação consistente de conteúdo é uma das estratégias de marketing digital mais confiáveis, especialmente no médio a longo prazo.

Invista tempo na criação de um blog de alta qualidade que fala sobre seus negócios ou tópicos relacionados que os consumidores terão interesse em ler. O objetivo é fazer com que os próprios usuários compartilhem seu conteúdo, trazendo tráfego ao seu site regularmente.

 

4 # Dê uma chance ao remarketing.

Uma estratégia de marketing inteligente reconhece que não se trata apenas de impactar cegamente os usuários, mas de orientá-los no funil de conversão.

Os consumidores estão em momentos diferentes do processo de compra e podem não estar prontos para comprar de você na primeira vez que souberem da sua existência. Isso não é razão para abandoná-los, no entanto. Tente fazê-los fornecer suas informações de contato e certifique-se de cultivar seu relacionamento com eles.

No mesmo sentido, não se esqueça dos seus regulares. Mantenha contato com seus clientes mais dedicados (por meio de um boletim informativo, por exemplo) e, claro, não se esqueça de informá-los sobre o seu lançamento.

 

5 # Criar um sistema de recomendação

O boca boca continua a ser uma maneira incrivelmente eficaz de obter um produto lá fora. Os usuários conversam naturalmente com seus amigos sobre os produtos que eles usam e recomendam. Mas você também pode dar um pequeno empurrão para que as rodas girem. Como? Criando um sistema de incentivo para recomendações.

Todo mundo gosta de receber “brindes”, então tudo que você precisa fazer é oferecer um cupom de desconto ou frete grátis em troca de contar aos amigos.

 

6 # Otimize a velocidade do seu site

Um truque tão simples quanto eficaz: verifique se o seu site funciona na velocidade da luz.

Não há nada mais frustrante do que um site que leva muito tempo para carregar. Um site rápido e fluido, por outro lado, melhora a experiência do usuário e a percepção da marca.

Há várias coisas que você pode fazer para melhorar o tempo de carregamento do seu site, por isso fale com um especialista. Enquanto isso, uma solução rápida: certifique-se de que as imagens são de qualidade suficientemente alta para serem exibidas com clareza e nitidez em um computador de mesa, mas não mais.

 

7 # Estabelecer relações com blogueiros

Influenciadores são os novos reis e rainhas das estratégias de marketing digital. Como especialistas em uma determinada área ou setor, eles tendem a ter uma audiência fiel esperando e dispostos a seguir suas recomendações, as quais você pode aproveitar para divulgar seu produto.

Para que blogueiros e influenciadores falem sobre sua marca, as estratégias mais comuns são organizar eventos e enviar amostras grátis. Lembre-se, no entanto, de que você não pode “comprar” a opinião ou recomendação deles, pois eles devem ser leais ao público e ser honestos sobre o que pensam. Para evitar desastres, reserve um tempo para investigar quais blogueiros podem ser mais interessantes para o seu produto.

 

8 # Cuide do seu atendimento ao cliente.

Nos últimos anos, os clientes se acostumaram a obter respostas de empresas às quais chegaram 24 horas por dia e 7 dias por semana, portanto, verifique se você está disponível on-line para ajudá-los.

O atendimento ao cliente é provavelmente uma das áreas em que a seleção cuidadosa de funcionários é mais importante. Os embaixadores da sua empresa devem ser pacientes, empáticos e resolutivos para oferecer ao seu cliente a experiência que merecem.

 

9 # Prepare o FAQ antes de lançar seu produto

Quando você lança um novo produto no mercado, os usuários geralmente têm um monte de perguntas sobre como ele funciona e o que podem fazer com ele. Quanto mais inovador for, mais você terá que explicá-lo. Nossa recomendação é fazer o máximo possível e preparar antecipadamente, criando uma seção completa e fácil de encontrar “Perguntas frequentes”. O ideal é incentivar os usuários a acessá-lo antes de entrar em contato com você com as perguntas deles.

 

10 # Não se esqueça do email marketing

E-mail é uma estratégia de marketing digital que pode parecer fora de moda, mas que continua a ser mais eficaz do que nunca. Certifique-se de aproveitar ao máximo!

A fim de efetivamente implementar uma estratégia de marketing por e-mail, o primeiro passo é criar um banco de dados com seus clientes. Quanto mais informações você tiver sobre cada uma delas, melhor. Pense em coisas como idade, residência, filhos e, é claro, compras anteriores ou produtos nos quais eles demonstraram interesse.

Use essas informações para criar uma estratégia de mensagens altamente personalizada quando o usuário achar que os e-mails foram escritos especialmente para eles individualmente. A automação de marketing pode ser uma grande ajuda para gerenciar com eficiência todas essas informações.

Como a AI está revolucionando o marketing digital

By | Marketing

Inteligência artificial e marketing digital estão começando a andar de mãos dadas. Com a capacidade de coletar dados, analisá-los, aplicá-los e aprender com ele, a AI está transformando a estratégia digital. À medida que continua avançando, também aumentará a capacidade de usá-lo para melhorar as estratégias de marketing digital e as valiosas percepções dos clientes para as empresas.

Aqui estão 3 maneiras pelas quais a AI está mudando o marketing digital para melhor.

Melhor experiência do usuário

O aspecto mais importante de uma estratégia de marketing digital bem-sucedida é a excelente experiência do cliente. Quando o conteúdo é relevante para o usuário, é mais provável que ele converta e se torne um cliente recorrente e tenha fidelidade à marca. A inteligência artificial pode ajudar significativamente com isso em sua capacidade de coletar dados e decidir qual conteúdo é o mais aplicável com base em itens como localização, dados históricos e comportamento passado. Ao fazer isso, dá ao usuário a impressão de que a marca foi criada especificamente para eles.

Para o varejo, a inteligência artificial pode ser um divisor de águas para experiências de compras on-line com novos avanços em realidade aumentada, em que os clientes podem realmente “experimentar” um produto antes de fazer uma compra. Existem agora aplicativos onde você pode realmente “experimentar” roupas para ver como os itens vão parecer em você sem nunca entrar na loja. Isso significa menos clientes insatisfeitos, menores retornos e maior engajamento on-line de uma marca.

A tecnologia de pesquisa por voz  também é um ótimo acréscimo de inteligência artificial em marketing digital que pode obter resultados mais rápidos. As empresas agora podem escrever seu site para coincidir com assistentes virtuais como Alexa, Google Home e SIRI. Se você fizer isso corretamente, poderá mover sua marca para ser o primeiro resultado em uma pesquisa por voz, o que pode realmente ajudar no reconhecimento da marca.

Comportamento Preditivo do Cliente

A AI não só pode personalizar uma experiência do cliente em comportamento passado, mas também pode prever o comportamento de usuários novos e existentes. Com a ajuda de plataformas de gerenciamento de dados (DMP) que coletam dados de segundo e de terceiros agora, a AI pode coletar informações sobre seus usuários através da Internet e não apenas em uma sessão em seu site. Isso pode ajudar a personalizar suas necessidades automaticamente por meio de jornadas e perfis, permitindo que você direcione seus possíveis leads e elimine aqueles que provavelmente não se converterão, permitindo que você se concentre em formular e executar estratégias de marketing eficazes.

Embora esteja longe de ser perfeito, a AI está constantemente coletando, analisando e interpretando dados para ficar mais inteligente ao utilizá-los. Com novos algoritmos, o tempo todo, a precisão das jornadas do cliente se tornará mais eficiente e ajudará a determinar a previsão de vendas e o ROI para que sua empresa possa fornecer a melhor experiência para os clientes e ferramentas certas para ajudar seu negócio a ter sucesso.

Suporte ao cliente em tempo real

Uma das maiores coisas que os clientes procuram em uma boa experiência digital é resoluções e respostas rápidas. Com a introdução dos chatbots da AI, uma ferramenta automatizada que dá a impressão de conversar com uma pessoa real de atendimento ao cliente em tempo real, a AI pode oferecer essa experiência em tempo real.

Os chatbots podem usar os termos para parecer mais “semelhantes aos humanos” e podem responder perguntas básicas, rastrear e atender pedidos e ajudar a resolver problemas simples. O Facebook messenger integrou o recurso do chatbot nas páginas da empresa no Facebook para ajudar a melhorar o atendimento ao cliente para as empresas. Esses bots podem estar disponíveis 24 horas por dia, 7 dias por semana, e podem reduzir o tempo de espera de chamadas para clientes com problemas que podem aumentar a satisfação geral do cliente.

A inteligência artificial continua a crescer e melhorar e não diminui por um tempo. A implementação da inteligência artificial em sua estratégia de marketing digital ajudará os clientes a terem uma experiência melhor e fornecerão à sua empresa as informações necessárias para o sucesso.

A inteligência artificial continua a crescer e melhorar e não diminui por um tempo. A implementação da inteligência artificial em sua estratégia de marketing digital ajudará os clientes a terem uma experiência melhor e fornecerão à sua empresa as informações necessárias para o sucesso.

 

Fonte: Forbes

automação de marketing

Por que a automação de marketing é importante para o seu negócio

By | Marketing

Automação é o futuro. A automação de marketing, em particular, pode transformar uma equipe de marketing enxuta em uma força a ser considerada, permitindo que startups e empresas em crescimento possam competir com empresas de grande escala na guerra pela atenção do cliente. O número de opções é vasto, e pode ser um desafio encontrar a combinação ideal de ferramentas de automação de software como serviço (SaaS).

Ao explorar suas opções, comece pelos objetivos mais imediatos da empresa. Então, ganhe o buy-in de seus colegas com vitórias rápidas e consulte especialistas. As melhorias de desempenho são reais e há muitas evidências de que as empresas podem atingir suas metas de crescimento maximizando a eficiência do SaaS e minimizando os custos operacionais. Deixe os bots cuidarem do dia-a-dia e dê à sua equipe a chance de ser criativo.

O que você imaginaria ao ouvir o termo automação? Um chão de fábrica com robôs industriais ou um escritório corporativo onde os trabalhadores foram substituídos por máquinas? Talvez até o mundo do pós-trabalho ? Você pode estar certo, mas o que as pessoas geralmente não pensam é uma empresa em crescimento que precisa de uma maneira escalável de crescer. O marketing é tão importante para as empresas de médio porte quanto para as grandes empresas. No entanto, as empresas menores geralmente desconhecem a simplicidade de integrar a automação de SaaS em seu fluxo de trabalho. Tudo começa com a suposição de antigos pressupostos e a análise das suas necessidades.

O que é automação de marketing e por que isso importa?

A maioria das empresas adora o conceito de SaaS – o desafio está em executar uma implementação adequada. Lembre-se da história do tigre e dos tênis? Dois rivais em uma excursão na selva acordaram no meio da noite com gritos de “Tigre no acampamento! Corra! O primeiro saiu correndo da tenda, mas o segundo sentou-se e começou a calçar tênis. O primeiro voltou e disse: “Não há tempo para isso, você não pode fugir de um tigre com aqueles!” O segundo disse: “Eu não preciso fugir do tigre. Eu só preciso fugir de você. No mundo dos negócios, isso significa que aproveitar a ferramenta certa geralmente é a melhor maneira de ter sucesso. A automação de marketing de SaaS está correlacionada estatisticamente com o melhor desempenho financeiro. Mesmo um pequeno investimento em automação de marketing tende a gerar retornos desproporcionais que podem impulsionar seus negócios para o topo. Como somos orientados a dados, aqui está uma análise de algumas das métricas mais relevantes para ajudar você a usar os sapatos.

67% dos líderes de marketing confiam na automação de marketing e  21% planejam implementar uma nova plataforma de automação de marketing no próximo ano. Além disso, 82 % dos profissionais de marketing reconheceram um retorno positivo sobre o investimento (ROI) da automação de marketing e disseram que isso os torna mais eficientes. Enquanto a maioria dos profissionais de marketing foi desafiada por gerar leads e desenvolver conhecimento da marca, os principais profissionais de marketing que utilizavam inteligência artificial (IA) e automação de marketing SaaS já haviam passado para tarefas com impactos financeiros mais fortes, incluindo a melhoria das oportunidades de marketing para vendas e retendo clientes existentes.

Como começar a automação de marketing

Comece pequeno e defina suas métricas de sucesso antecipadamente. Os principais indicadores de desempenho (KPIs), como taxa de abertura, conversão e vendas, ajudarão você a navegar pela infinidade de opções que enfrentará ao fazer sua escolha. A tática mais fácil e potencialmente mais eficaz para lidar com as suas campanhas de e-mail. A técnica mais fácil que não envolve codificação ou configuração de qualquer tipo de lógica programável é utilizar os recursos especializados disponíveis para você, como campanhas de gotejamento que podem gerenciar aspectos transacionais do comércio de conversação .

Gere, gerencie e acompanhe seu marketing. 

O marketing de conteúdo é quente, mas a maioria das empresas simplesmente publica conteúdo inócuo e fica surpresa quando seus esforços geram vendas zero. É mais importante produzir qualidade do que produzir uma quantidade alta. Depois de descobrir a mensagem apropriada na forma de white papers, estudos de caso e relatórios do setor, você poderá otimizar seu conteúdo para conversões. Procure softwares que ampliem o engajamento com agendas de cadência de contatos, formulários de solicitação de depoimentos, etc. Os dados coletados precisam ser filtrados para entender as oportunidades de geração de receita que você não conseguia ver antes. Use os kits de ferramentas de integração e interfaces de programação de aplicativos (APIs) para tarefas como conectar o gerenciamento de relacionamento com o cliente ao tratamento de tickets. Procure áreas onde o software legado pode ser atualizado,

O impacto da automação de marketing

Os resultados devem ser notados em menos de 30 dias após a implementação. Por exemplo, para uma empresa com vendas de milhões de libras por ano, o aumento nas vendas deve ser de cerca de 10% ao ano. O investimento em automação para chegar a esse ponto deve ficar entre 2% a 5% da receita total. À medida que o processo é implementado, o C-Suite terá que estar pronto para lidar com os problemas de gerenciamento de mudanças rapidamente e capacitar os funcionários a irem de tarefas de marketing repetitivas para pensar estrategicamente. Lembre-se que um sistema automatizado sem supervisão humana é apenas uma roda de hamster mais rápida, e você está com o objetivo de fazer um foguete.

Fonte: Revista Forbes