Gestão de Processos x Gestão de Projetos - CRM7 - Zoho Partner Brasil

Gestão de Processos x Gestão de Projetos

By 16 de agosto de 2018Blog, CRM, E-mail Marketing, Integração, Zoho

Os processos e projetos são ações que constroem a rotina e o funcionamento da organização. Eles dão sustentação ao trabalho e o propósito da equipe, independentemente do ramo ou do porte da empresa.

Você sabe a diferença entre gestão de projetos e processos, seus conceitos e qual a relação entre eles? Neste artigo, vamos te explicar o conceito de cada um, apontando características individuais e dando dicas de gerenciamento.

Gestão de Projetos e Processos

Embora os dois conceitos sejam comumente confundidos e estejam diretamente interligados, eles apresentam algumas diferenças. Os projetos e os processos (também chamados de operações) diferem, principalmente, no fato de que os projetos são temporários e exclusivos, enquanto os processos são contínuos e repetitivos.

O conceito de gestão de processos envolve uma sequência de atividades rotineiras que, juntas, compõem a maneira pela qual a empresa funciona. São ações repetitivas e padronizadas que acarretam sempre em um mesmo resultado, com o objetivo de produzir um produto ou um serviço para um cliente ou mercado específico, que será reproduzido sistematicamente.

  • São características de um processo:
  • Ser um trabalho contínuo e rotineiro;
  • Gerar resultados constantes e padronizados;
  • Ser permanente e replicável;
  • Corresponder à forma pela qual a organização trabalha;
  • Agregar valor às entregas para clientes.

Já um projeto se dá por um esforço temporário empreendido para criar um produto, serviço ou resultado exclusivo.

Ou seja, um projeto é construído com o intuito de melhorar um processo ou criar resultados únicos, ao contrário dos processos.

São características de um projeto:

  • Ser temporário e único;
  • Possuir início, meio e fim;
  • Romper com o “status quo” dos processos;
  • Gerar um resultado único, como um produto ou uma melhoria em processos;
  • Ter sua elaboração progressiva;
  • Estar conectado a um ou mais processos da organização;
  • Possuir um escopo e recursos definidos.

 

Como pode-se perceber, tradicionalmente na gestão por processos, o papel do planejamento é de apenas 10% dos esforços empresariais, ficando as outras funções (principalmente a execução), com 90% dos esforços.

Quando passamos para a nova realidade, da gestão de projetos, a lógica é inversa.

Agora a ideia é que os esforços de planejamento passem a representar 90%, procurando prever os resultados o máximo o possível antes de investir, e deixando os esforços de execução com apenas 10%.

 

Leave a Reply